terça-feira, 20 de junho de 2017

Meu Brad Pitt ♥

"Nem sempre a minha gargalhada é feliz, ela pode ser tristeza pura. Às vezes meu riso é dolorido. O meu não-te-preocupa-que-eu-tô-legal vem com legenda me-abraça-e-não-me-solta-mais... Não sou difícil, só tente me ler direito, com a alma aberta"
(Clarissa Corrêa)

Dois meses se passaram desde tua partida e, confesso ainda não me acostumei a não chorar por tua ausência.

Não me preparei pra tua despedida. Por mais que esse fosse um amor com data marcada, sempre torci pra que esse dia nunca chegasse.

Como é complicado se sentir impotente diante das circunstâncias todas que se deram. É demasiadamente difícil não chorar diante dos teus manos. Não desmoronar diante do olhar de interrogação deles. Como se perguntassem quando o trarei de volta pra casa. Parece que a qualquer momento encontrarei teus olhos sorridentes esperando pela minha chegada.

Sinto culpa por não tê-lo mais aqui junto da gente, por não ter feito mais. Pelo tanto que fiz não ter sido suficiente pra te ajudar. Dói pensar que insisiti com medicação e cuidados em casa e talvez tenha demorado a decidir pela internação. Quem sabe ainda estivesse por aqui nos encharcando de amor.

Em cada pedacinho meu tua falta é gigantesca. Falta tu em cada cantinho da minha vida, meu príncipe. Em cada espaço do apartamento sobra um bocado de saudade, de lembranças das tuas andanças, do teu atrapalhado enganchar de unha no sofá ou no forno do fogão.

Ainda encontro teus pêlos pela casa e sempre que isso acontece meu peito transborda de amor. Não encontrei coragem de tirar o pratinho que ficou sobrando. Parece combinar tão bem no tapetinho de vocês. Ah, meu querido alemão... Quanta falta tá fazendo! :/

Sinto falta do teu olhar apaixonado, do ronronar carregado de afeto, do jeito desajeitado de pedir carinho na barriga, das tuas unhas sujas, do teu pêlo dourado, do teu miado estranho e ao mesmo tempo tão doce.

Torço para que já esteja adaptado ao teu novo lar, menos assustado por estar longe de casa. Mas, com menos saudades do que nós que ficamos. Que esteja cercado de carinho. Sendo muito mimado e amado.

Sei que meu Brad viveu por mim. Amou e foi muito amado também. Na verdade foi a alma mais devotada e apaixonada que já conheci até hoje. E isto é o que conforta e importa de fato. Te amo, meu filho!

Nos meus momentos mais escuros solto a gargalhada mais alegre pra camuflar a tristeza. Mas sinto um medo enorme dessa dor não passar.

Enquanto isso, vou esperando a dor virar somente saudade e a saudade se transformar em doces e alegres lembranças.


Penetração do poema das sete faces

(A Carlos Drumond de Andrade) Ele entrou em mim sem cerimônias Meu amigo seu poema em mim se estabeleceu Na primeira fala eu já falava como ...