segunda-feira, 31 de julho de 2017

4 de julho

Mesmo distante, as mãos se reconhecem e se apoiam. 
Esqueci por completo de que o aniversário era meu e que a noite era de Grêmio pela Libertadores. 
A festa que acontecia era do lado de dentro.
Durante o trajeto, lindas lembranças me acompanharam. É... O intuitivo é realmente uma bênção. Sempre é.
Em um mundo em que há regras pra tudo, e tantas para uma vida tão intensa e ao mesmo tempo tão breve,  é preciso encontrar um atalho, abreviar, criar espaços... E, quando me dei conta já estava lá, no corredor do Moinhos. Logo eu, tão avessa a hospitais.

No elevador, a caminho do quarto, percebi que tremia, feito um certo 20 de julho ou outros tantos reencontros desta vida. Antigas reticências minhas com bem mais de três pontos eu diria. E o que importa? Por hora dispenso qualquer tipo de entendimento. Prefiro a sensação da doce alegria no cantinho do peito carregada daquele cheirinho de paz e a imensa gratidão por sua existência em minha vida. 

Naquela noite quis tanto te abraçar forte, te colorir, segurar tua mão. Levar um pouco de sol àquele olhar momentaneamente tão frágil. Mas optei pelo esforço além da conta em demonstrar serenidade, ainda que carregasse uma banda de música dentro do peito. O coração essencialmente puro e cuidadoso deixei por lá. 

E, apesar das circunstâncias todas que se deram, o presente foi meu. E aquele 4 de julho foi um dos meus melhores aniversários também, com direito à vitória do Grêmio em solo Argentino.  
😍💙

terça-feira, 20 de junho de 2017

Meu Brad Pitt ♥

"Nem sempre a minha gargalhada é feliz, ela pode ser tristeza pura. Às vezes meu riso é dolorido. O meu não-te-preocupa-que-eu-tô-legal vem com legenda me-abraça-e-não-me-solta-mais... Não sou difícil, só tente me ler direito, com a alma aberta"
(Clarissa Corrêa)

Dois meses se passaram desde tua partida e, confesso ainda não me acostumei a não chorar por tua ausência.

Não me preparei pra tua despedida. Por mais que esse fosse um amor com data marcada, sempre torci pra que esse dia nunca chegasse.

Como é complicado se sentir impotente diante das circunstâncias todas que se deram. É demasiadamente difícil não chorar diante dos teus manos. Não desmoronar diante do olhar de interrogação deles. Como se perguntassem quando o trarei de volta pra casa. Parece que a qualquer momento encontrarei teus olhos sorridentes esperando pela minha chegada.

Sinto culpa por não tê-lo mais aqui junto da gente, por não ter feito mais. Pelo tanto que fiz não ter sido suficiente pra te ajudar. Dói pensar que insisiti com medicação e cuidados em casa e talvez tenha demorado a decidir pela internação. Quem sabe ainda estivesse por aqui nos enxarcando de amor.

Em cada pedacinho meu tua falta é gigantesca. Falta tu em cada cantinho da minha vida, meu príncipe. Em cada espaço do apartamento sobra um bocado de saudade, de lembranças das tuas andanças, do teu atrapalhado enganchar de unha no sofá ou no forno do fogão.

Ainda encontro teus pêlos pela casa e sempre que isso acontece meu peito transborda de amor. Não encontrei coragem de tirar o pratinho que ficou sobrando. Parece combinar tão bem no tapetinho de vocês. Ah, meu querido alemão... Quanta falta tá fazendo! :/

Sinto falta do teu olhar apaixonado, do ronronar carregado de afeto, do jeito desajeitado de pedir carinho na barriga, das tuas unhas sujas, do teu pêlo dourado, do teu miado estranho e ao mesmo tempo tão doce.

Torço para que já esteja adaptado ao teu novo lar, menos assustado por estar longe de casa. Mas, com menos saudades do que nós que ficamos. Que esteja cercado de carinho. Sendo muito mimado e amado.

Sei que meu Brad viveu por mim. Amou e foi muito amado também. Na verdade foi a alma mais devotada e apaixonada que já conheci até hoje. E isto é o que conforta e importa de fato. Te amo, meu filho!

Nos meus momentos mais escuros solto a gargalhada mais alegre pra camuflar a tristeza. Mas sinto um medo enorme dessa dor não passar.

Enquanto isso, vou esperando a dor virar somente saudade e a saudade se transformar em doces e alegres lembranças.


segunda-feira, 12 de junho de 2017

segunda-feira, 13 de março de 2017

Nem sequer dormi



Naquela noite eu nem sequer dormi
O sentimento ainda tava ali
Atravessado atrás dos meus botões
Desafiando livros e canções
Só das paredes eu não escondi
Nada e ninguém pra me aparar a dor
Chorei com força pra secar o amor
Que reviveu assim que eu te revi

Parece até que eu não tive mais vida
Parece até que eu não fui mais feliz
Mas a verdade é que você é o melhor de tudo o que eu vivi
E agora se quiser bater à porta eu vou abrir

sábado, 25 de fevereiro de 2017

Desalento



Onde quer chegar
Um amor assim
Maior
Não saber de cór
Pra poder errar e ver

O que só está
Pra quem arriscar
Perder
Apostar e ter
Sorte de também
Ganhar

Mesmo sem estar ♪

TÔ NAQUELA BLUSA QUE EU SEI QUE É AZUL
SÓ PRA ME IRRITAR INSISTE EM DIZER QUE NÃO É

TÔ NA SOLIDÃO DO ELEVADOR
NO TEU COBERTOR, NO FILME DE AMOR
SEJA ONDE FOR
EU TÔ AÍ
MESMO SEM ESTAR

SAIBA QUE EU SEMPRE TÔ AÍ

Meu sol



Só pra você
Eu tenho os olhos e meu coração
Espero o teu sorriso e as tuas mãos
Não esquece, o Sol renasce amanhã
A vida, enfim vivida de manhã

Quando tenho você
Sempre você é
Meu Sol